Clarindo Junior

É chegado o "Reino de Deus".

 “Ora, depois que João foi entregue, veio Jesus para a Galileia pregando o evangelho de Deus e dizendo: O tempo está cumprido, e é chegado o reino de Deus. Arrependei-vos, e crede no evangelho”.  (Marcos 1:14-15)

Foto3...Reino de Deus” – expressão inaugurada por Jesus, e uma das mais faladas entre os cristãos. Ela aparece também diversas vezes no Novo Testamento, principalmente, nos evangelhos, e muitas ditas pelo próprio Jesus: “É chegado o Reino dos Deus” (Mc 1.15). É o próprio Deus que se esvazia da Sua glória, se torna homem e introduz o Seu reino na terra, pois nasceu o Salvador. Jesus, o Cristo (também conhecido como o Messias), aquele que redime o homem do pecado, viveu os seus dias aqui na Terra intensamente como homem, experimentou frio, fome, tristeza, alegria, chorou, entre outros. Fazia parte do seu modus vivendi (modo ou maneira de viver) conviver com alegrias e dores, colocando em prática o amor até as suas últimas consequências; sendo a maior expressão do amor de Deus pelo homem.

O grande escritor Leonardo Boff, em seu livro “Jesus Cristo Libertador”, nos deixa uma frase muito oportuna para o tema: “só sendo Deus para ser tão humano assim”. Na verdade, Jesus veio para estabelecer um reinado de igualdade entre ricos e pobres, doutores da lei e simples camponeses, um reino onde o maior serve o menor e vice-versa. Por onde Jesus passava, direcionava sua atenção para pessoas que ninguém queria cuidar, gente sem dignidade, sem vez e sem voz. Por isso, para o rei e os religiosos da época, Jesus parecia ser um representante político, pois sua mensagem reunia multidões, conquistando a confiança do povo. No entanto, despertava a desconfiança dos representantes políticos e religiosos da época: fariseus, saduceus e escribas, que começaram a impor-lhe grande perseguição e levantar dúvidas no meio do povo a seu respeito.

David Bosch em seu livro “Missão Transformadora”, muito nos ensina sobre a ação do reino de Deus, por meio de Jesus Cristo e do cristianismo relevante para o Seu tempo. A vida e missão de Jesus transformaram as grandes multidões em muito mais do que seguidores: discípulos convictos da obra redentora e da Sua chegada como o Messias tão esperado pelo povo.

Agora, o que é preciso para fazer parte do Reino de Deus? Quem pode fazer parte desse reino? Segundo o exemplo de Jesus, é preciso ser servo e discípulo. É preciso querer servir, se compadecer e amar sem escolher a quem. Vemos isso em Mc 10.43-45, quando Jesus disse aos seus discípulos: “Pois nem mesmo o Filho do homem veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos”.  Isso deixa claro que Reino de Deus é serviço, pois há muito para fazer. Jesus chama de discípulos aqueles que entenderam a Sua missão e por Ele é motivado a viver profundamente o amor.

Ser discípulo de Jesus requeria dedicação e entrega da própria vida. Ele utilizava o método de discipulado rabínico para ensinar aos seus discípulos os procedimentos do reino de Deus. No judaísmo antigo, o talmidim era o discípulo do rabino, um estudioso da lei. Ele tinha como prazer imitar o seu mestre e um dia também se tornar um mestre da lei. Os discípulos de Jesus aprendiam e se espelhavam em Jesus. Entretanto, o que os tornava diferente era que, depois de todo o conteúdo prático aprendido com Jesus, eles continuavam sendo servos. Seguir a Jesus não significa somente passar adiante seus ensinamentos, mas ser sua testemunha genuina. O estilo de vida de Jesus e sua compaixão pelas pessoas produziam muitos discípulos por onde Ele andava. Em Mt 6.34 nos traz um exemplo muito peculiar dessa compaixão: Quando Jesus saiu do barco e viu tão grande multidão, teve compaixão deles e […] ensinou-lhes muitas coisas”. Compaixão significa sentir a dor do outro. Era isso que tornava Jesus diferente dos religiosos de sua época. Quando colocamos isso em prática, o cristianismo se torna relevante em nossas vidas e no contexto em que estamos inseridos.

Em sua passagem pela Galileia, Jesus, além de pregar nas sinagogas, expulsava muitos demônios. Nesse ínterim, Jesus realizou mais um dos Seus milagres, curando um leproso com apenas um toque. Imagine o que significou para aquele leproso receber o toque de Jesus. Naquela época, o leproso não podia caminhar em meio ao povo nem levar seus sacrifícios ao templo. Restava-lhe andar pelos arredores da cidade, refugiado do convívio social. O toque de Jesus, além de curá-lo do seu mau físico, o curou dos seus traumas e complexos, reintegrando-o à sociedade. Em Mc 1.41, relata que após ficar curado, aquele homem foi ao templo, totalmente limpo, levar sacrifícios de gratidão pela sua purificação.

Viver o Reino de Deus é olhar para o ser humano como Jesus olhou para aquele leproso, com um olhar de compaixão e puro amor. É preciso ver o ser humano de forma integral, todo o amor de Deus alcançando o homem na sua integralidade. Jesus Cristo veio devolver àquele homem a sua dignidade, reestabelecer relacionamentos, trazendo-lhe de volta a autoestima, para um homem que há muito tempo vivia a margem da sociedade. Se, portanto, indagássemos a esse homem sobre o reino de Deus, certamente ele responderia: “É chegado o Reino de Deus”.

Que o Criador Criativo o abençoe.

Clarindo Junior

Comentários desativados.