Clarindo Junior

A Palavra que cria e gera vida

PlanetaNão é difícil olharmos admirados as fontes naturais que nos rodeiam como: sol, lua, montanhas e outros tão admiráveis. Logo pensamos na criação do Cosmos (do grego κόσμος “universo”) e nos perguntamos como poderia ter sido esse processo. O livro de Gênesis nos capítulos 1-2.4a nos apresenta a História das Origens, na qual Deus (Elohim) decide criar todas as coisas. Faz parte desse projeto de criação: céus, terra, árvores, animais, noite e dia, luz e coroando a criação, homem e mulher. Nesse cenário de formação de todas as coisas, Deus deixa rastros divinos, marcas de um Deus inteligente, criador por excelência e dono do maior projeto arquitetônico de todos os tempos.

Estamos diante da narrativa bíblica chamada Cosmogonia, que vem de κοσμογονία, palavra grega que significa nascimento do universo (κόσμος “universo” e γονία “nascimento”). Estamos falando do nascimento de todas as coisas. Deus, o nosso maestro e grande arquiteto cria a partir do caos, ou seja, de um ambiente sem forma, destituído de vida, um lugar de muitas águas. Diante desse ambiente sem forma traz a existência tudo o que há no mundo. É difícil imaginar o universo sendo formado a partir de algo informe, mas nas mãos de Deus é como madeira nas mãos do carpinteiro, ouro nas mãos do ourives e barro nas mãos do oleiro. Assim Deus faz: transforma o caos em cosmos.

A partir da Sua palavra (logos), Deus cria progressivamente todas as coisas, primeiro Ele prepara os ambientes, depois toda forma de vida e, finalmente, cria o homem e a mulher com suas próprias mãos. Paul Tillich em sua teologia Sistemática aborda sobre a “Teologia da Palavra”, seria a palavra falada. À medida que Deus falava, as coisas iam se formando, cada uma no seu devido lugar.

Nesse processo de criação, vemos um plano perfeito e características que só encontramos em Deus. Ele trazer à existência todas as coisas, deixando-as em perfeito equilíbrio e pleno funcionamento. Só a Sua palavra cria e gera vida num ambiente sem perspectiva. Vale ressaltar alguns elementos que nos chamam atenção nessa criação.

A partir do caos, Deus dá início a todas as coisas – A palavra de Deus tem o poder de criar qualquer coisa. Deus fala e, simplesmente, acontece. Deus não precisa falar duas vezes. Quando Ele diz, o cenário de desordem passa a ter ordem. Somente Deus na ausência de vida pode gerar vida.

Deus é organizado e estratégico na Sua maneira de criar –  Entre os vs 3 ao 27, percebemos a estratégia de Deus em todo o processo. No vs. 11 relva e árvores frutíferas só foram criadas depois da criação da terra, confira no vs. 10. Outro exemplo são os peixes criados entre os vs. 20 e 21. Entretanto, isso só foi feito depois da criação dos mares no vs. 10. Finalizando a criação, Deus cria homem e mulher, mas depois de ter criado as outras coisas necessárias para sua sobrevivência.

Deus deu ao homem o “governo” com toda a criação – Em Gn 1.26, Deus entrega ao homem a responsabilidade de governar com todas as coisas. Mas, um governar com cooperação, sem subjugar. Isto coloca sobre o homem incumbência de cuidar da criação, reproduzindo o modelo de Deus.

Nessa narrativa bíblica é possível extrair alguns ensinamentos para nossa vida. À medida que mergulhamos no texto percebemos como é tão atual para os nossos dias. Esta forma tão organizada de criar aponta para um Deus que sonha, projeta, cria, abençoa e dá à sua criação a manutenção da vida. Vamos pontuar alguns elementos importantes para nossa fé:

O Criador tem total controle sobre sua criação – No vs. 1 vemos que foi Deus quem criou todas as coisas. Sendo Deus o criador, Ele tem total controle sobre sua criação, não havendo nada que o pegue de surpresa. Logo, Deus pode todas as coisas sobre sua criação, inclusive, intervir sobre qualquer situação aparentemente sem perspectiva de mudança. Todos os desejos e sonhos precisam ser colocados diante daquele que tem total controle sobre a vida humana.

Quando Deus diz, simplesmente acontece No vs. 3 ao 25 Deus diz: “haja… houve” e  “produza… produziu”.  Alguns estudiosos apontam para a chamada “Teologia da Palavra”. Basta uma palavra de Deus para as impossibilidades da vida se tornarem possíveis. Isso nos indica que, quando perdermos o controle das coisas e se estabelece um clima de desespero, existe um Deus (Elohim), que com apenas “uma Palavra” pode mudar qualquer situação.

Criados à imagem, conforme a semelhança de Deus – Não se trata de semelhança física, mas implica em semelhanças que refletem os atributos do próprio Deus, que a teologia chama de atributos comunicáveis. Isso significa que só conseguimos amar, porque Deus nos amou primeiro, sendo então, o amor que sentimos uma extensão do Seu amor. Nesse sentido, a fidelidade que praticamos, o amor que dedicamos, a justiça exercida, uma ação de misericórdia, a bondade e a sabedoria são expressões dos atributos divinos. isso só é possível porque o homem carrega em si o DNA de Deus.

Tudo quanto Deus faz é bom – No vs. 28 Deus após criar homem e mulher os abençoou. Imagina-se que Deus após criar todas as coisas, consagrou-as num ato de satisfação. Deus por vontade própria e desejo do Seu coração faz todas as coisas e se alegra com os seus feitos. Vemos isso no versículo 31a “Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom…” Somos a excelência de toda a criação e especiais aos olhos do Senhor.

O Deus que cria é o mesmo que mantém – Nos vs. 29 e 30, Deus providencia todo o mantimento necessário para o sustento do homem. Vemos que Deus cria o homem depois que toda estrutura para sua sobrevivência está estabelecida. “…toda a erva que dá semente sobre a terra, e todas as árvores frutíferas lhe servirá de mantimento”. Isso significa que a roupa, o alimento, a moradia não faltará, pois tudo o que Deus criou nos servirá para a manutenção da vida.

Diante de tudo que já vimos até aqui, percebemos que toda a criação é especial para o seu Criador. Vimos também como a História das Origens nos motiva diante dos desafios e surpresas da vida. A cada dia percebemos como está difícil viver no nosso planeta. A ação humana vem mudando o que foi estabelecido por Deus, trazendo consigo catástrofes, doenças, guerras e tantas outras coisas. Não podemos perder a esperança, pois perseverar é preciso. É preciso rever a nossa cosmovisão, repensar a postura diante de tudo que Deus nos deu para juntos governarmos. Mesmo que a esperança pareça acabar, podemos alimentá-la na visão de João, escrita em no livro de Apocalipse, capítulo 21, onde Deus o mostra novo céu e nova terra, porque o primeiro céu e a primeira terra se passaram. Mesmo com o fim de todas as coisas, a nossa esperança precisa estar em Deus, pois só Ele tem “a Palavra que cria e gera vida.”

 

Confira abaixo um dos vídeos de Clarindo Junior. Vá em Mídias/Vídeos e confira outros vídeos.

Clarindo Junior – Compartilhar

Imagens do Show no Palácio das Artes em Jequié-Bahia, onde Clarindo apresenta músicas do CD “Por Toda Vida”. Na banda: James Mello (teclados); Oswald Filho (bateria); Amós (guitarra); Lucas Cruz (violão) e Urley (baixo).

Comentários desativados.